Os gatos têm sete vidas. Tu tens uma.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Os gatos têm sete vidas. Tu tens uma.

Mensagem por Shotgun em Dom 11 Jan 2015, 04:13


O cenário altera-se completamente tendo em conta os anteriores vídeos de Edward Hosking. A câmara vai focando lentamente o inglês sentado num sofá de peles, vestindo um blazer e uma camisa num tom claro de azul. Com o cabelo puxado para trás e barba por fazer, algo também novo, o inglês mostra-se imóvel à medida que a câmara foca completamente o seu rosto. A expressão é de seriedade; não há sorrisos nem qualquer outro tipo de sentimento à flor da pele. O fundo compõe-se apenas por uma parede de tons cinza. Com um copo de vinha na mão, dá um longo gole e pousa-o logo de seguida.

Edward Hosking: Não, meus amigos. Não se trata de um jantar em casa do nosso amigo Delmar Bento. Trata-se sim de formalidade, de elevar o jogo. A água não impõe respeito a ninguém, não é verdade? - sorriso largo, antes de beber outro gole de vinho. Pois bem, estamos perto do fim de um torneio que irá marcar toda a história desta federação. E para pertencer ao mesmo, há que agir como tal. E nesse campo, como em tantos outros, só há vencedor possível. Mas a questão com que me deparo neste momento ultrapassa tudo isso.

O inglês acaba de beber o vinho e atira o copo para o chão, de qualquer maneira. Pelo não existente ruído, calcula-se que não se tenha partido. O mesmo torce o nariz e volta a exprimir seriedade, num olhar que impõe respeito.

Edward Hosking: Vamos por partes. Primeiro ponto, senhor voz grossa. A manipulação é uma arte que pode salvar vidas. Tu, como treinador da vida, devias ter isso na palma da mão. Entristece-me isso, mas também a mensagem de ingenuidade e de vitimização que tentas passar. Claro, sempre há aquele que se irá rever nessas palavras. Mas, como também é óbvio, para esses não há esperança. E a verdade é que o termo tem sido popularizado como ratazanas como tu e o teu namorado, Gustavo Santos, que o utilizam em campos erráticos e profundamente descabidos. E não me interpretes mal, não sou de todo homofóbico. Só me repulsa a tentativa de manipulação para com o público alvo, passando a mensagem de que partilham apenas uma relação profissional e de amizade.

O adversário de Micael Estefari no Masters of the Mat ajeita o casaco e continua a descarregar no seu oponente na próxima segunda-feira, no Monday Night Kerosene. O olhar nesta altura indica cinismo.

Edward Hosking: Ignorando a desarrumação óbvia que te rodeava, além do restante mísero e absolutamente hilariante paleio sobre manipulação, não pude deixar de ouvir que te consideras a pessoa mais importante da vida e, se ouvi bem - coçando os ouvidos -, és tu próprio que decides o que fazer, tendo a capacidade de pensar sem que as pessoas saibam no que pensas. Confesso que seria uma atitude louvável se fosse, de facto, minimamente verdade. É por isso que és um falhanço tão grande. É por isso que os teus livros foram um falhanço, é por isso que a tua carreira na luta livre continuará a ser podre como essa espelunca onde te encontras. Brilhante é conseguir fazer alguém mudar de opinião como um estalar de dedos, sem que essa pessoa dê por isso. Essas qualidades a que chamas de brilhantes são, na realidade, a razão do teu fracasso. Ter a capacidade de decidir autonomamente o que fazer e pensar é mais raro do que podes pensar.

O britânico cruza os braços, imitando o gesto de Micael Estefari no seu último vídeo.

Edward Hosking: Tenho de admitir, muita razão em alguns dos aspetos que referes. Parabéns por isso. Concordo a cem por cento quando dizes que falo em ordem e desordem como fossem coisas que consigo usar como me apetece. Finalmente, alguém que percebe e compreende esta essência na sua plenitude. Não podia ser tudo mau em ti, não é mau? - sorriso rasgado, repleto de gozo. A verdade é que é raro quem o faz. Mais do que um dom, é algo que se aperfeiçoa.

Novo sorriso.

Edward Hosking: É curioso, não é? Designas-me como um traste que não merece as tuas palavras e, noutro plano, falas de ti como alguém que não é manipulado por alguém como eu, com as minhas convicções. A história ganha contornos realmente espantosos quando, nos meus registos, gastas 658 palavras a dirigir-te a mim e, precisamente, às minhas convicções e declarações. - revira os olhos de um lado para o outro, mostrando uma expressão de puro gozo para com Micael Estefari. É fabuloso poder estar vivo para presenciar esta ironia. E, aproveitando a maré, dou-te um conselho que te será útil para o resto da tua vida: calcula meticulosamente as tuas palavras, pensamentos, atos e decisões. Isto vem de alguém que te quer vivo para quando conquistar tudo o que houver para meter à cintura, nunca de um lifecoach. Porque isso não existe. Existem sim aqueles que tentam manipular e controlar as pessoas, acreditando que a felicidade está ao virar da esquina e que a vida é uma dança infindável com voltas e mais voltas. Na minha utopia, é aquele que não acordou nem nunca o fará. Simplesmente não existe.

O lutador britânico acaba por tirar o casaco, dobrando-o e colocando o mesmo ao seu lado no sofá. Enquanto o faz, vai prosseguindo com o seu discurso.

Edward Hosking: Afinal de contas, todas as coisas que dizes parecem ganhar contornos irónicos num ou noutro momento. Não sei porquê ao certo, mas é hilariante. Como treinador da vida terás, na teoria, toda e qualquer liberdade para tentar mudar a vida de alguém com os métodos certamente pouco convencionais. E isso é liberdade de expressão imposta pelos princípios mais básicos da democracia. Partilho total discordância das palavras de Gustavo Santos, ridículo não me poder expressar sobre as mesmas. Mas compreendo de todas as formas a tua indignação perante isso mesmo. Afinal de contas é uma tentativa falaciosa de desmascarar os também mentirosos treinadores da vida, correto?

O lutador britânico acaba por tirar o casaco, dobrando-o e colocando o mesmo ao seu lado no sofá. Enquanto o faz, vai prosseguindo com o seu discurso.

Edward Hosking: Dói-me imaginar na generosidade do Gustavo. Provavelmente a mesma que apoia comportamentos terroristas nas redes sociais. Ridículo. Custa-me a pensar também que esse triste já ajudou alguém na sua vida. Presumivelmente alguém que consegue atingir pontos mais baixos que ele próprio. Mas depois lembrei-me; afinal de contas é o Micael Estefari. O destino há de seguir o seu fluxo natural. E eu hei de alterar o teu próprio, colando-te a uma numa cama com o teu gato a dançar alegremente em volta do teu corpo pálido e indefeso nessa cave moribunda.

Hosking levanta-se, pegando no casaco e aproximando-se da câmara. Agacha-se, ficando próximo da câmara que foca o seu rosto com maior intimidade.

Edward Hosking: Não é questão de tempo, mas de convicções. E ser invencível não é uma fantasia, é uma convicção bem real. Tu, que aparentemente lutaste Hoskings durante toda a vida, perdeste demasiadas vezes. E a corrente manterá o seu fluxo com a maior naturalidade pois, ao contrário dos gatos, só tens uma vida. E está a esgotar-se. Lentamente e de forma agonizante.

O inglês mostra o seu relógio que vai andando de segundo em segundo. A imagem desvanece.



avatar
Shotgun
Shotgun Eddy

Mensagens : 207
Data de inscrição : 26/12/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum